COMUNGAR


1.Tomar a Comunhão.

2. Pertencer a um grupo que tem as mesmas idéias.
APRESENTAÇÃO


É com alegria que apresentamos este trabalho.

A idéia de Comungando nasceu da nossa

vontade de levar as coisas simples da rica cultura

regional pampeana para cantar e trocar

experiências além das suas fronteiras geográficas.

Cresceu com a chegada do Gabriel Selvage,

da Alana Moraes e do Paulo Garfunkel, que abriram

espaço em suas atribuladas agendas para nos

iluminar e valorizar nosso trabalho, trazendo carinho,

talento e o amor a arte pra comungar com a gente.

O resultado disso é um CD orgânico, gravado ao vivo,

valorizando a Letra, a Voz e o Violāo, mas principalmente

os sentimentos que nós colocamos em cada nota

e palavra impressas nele, e que agora de alma aberta

e coração leve entregamos a todos.

Visite o Blog e, se quiser entrar em contato ou adquirir

o seu exemplar, siga as dicas que estão lá no final.



                                    Gracias.
AUTORES


Volmir Coelho e Giba Trindade
PARTICIPAÇÕES ESPECIAS

Gabriel Selvage, Arranjos e Violão 7 Cordas.

Alana Moraes, Voz em Florescer.

Paulo Garfunkel, Flauta em Santa Pampa.

LETRAS


01 CHEIRO DE CAMPO

Quando eu sonho
Com o cheiro do campo
Recordo o encanto
Que é a flor do alecrim
Do espinilho e a figueira do mato
Num terno retrato
Que eu trago pra mim

Sinto os cheiros
Que vem do meu chāo
O frescor do verāo
De angicos sombreiros
De arvoredos com flores tāo belas
E o amor nas janelas
Dos ranchos campeiros

Com meu sonho
Mesclado em saudades
Da vida nas tardes
Que acena os encantos
Vou no mundo cruzando as estradas
De alma extasiada
Com o cheiro do campo


02 FLORESCER

Linda flor entre os espinhos
Que a todos mostra sua cor
Mas ninguém lhe rouba amor
Nem apanha seu encanto
Por isso ela me fascina
Porque é mais pura e tão linda
Quanto a florida no campo

Linda flor entre os espinhos
Tão radiante de esplendor
Que só mesmo um beija-flor
Pode seus lábios beijar
Por ser tão linda e mais pura
Só entrega a frágil doçura
Pra quem se arrisca a voar

Linda flor me dá um sorriso
Vestida em luz quando a vejo
Fazendo lembrar seu beijo
E a dor que ele traz pra mim
Pois não sendo passarinho
Vou desafiando aos espinhos
Pra florescer meu jardim


03 RUMINANDO

Na vida que eu tive
Povoando os terreiros
Meu mundo campeiro
Encantava o olhar
Tinha a gurizada
Brincando ao relento
Por donos do tempo
Da terra e do ar

Tinha a sapiência
Dos campos fronteiros
Nos causos campeiros
Contados pra gente
E o meu catavento
Guardando a paisagem
Qual fosse visagem
Num sol de poente

Tinha a liberdade
Que o pampa ofertava
Quando me aninhava
Nos braços da paz
E um mundo só meu
Nos campos da infância
Que a terna lembrança
Só encanto me traz


04 VINDE VERSO

Tem verso que vem
De antigos retratos
Sem lei nem contratos
Mas com emoção
Tem verso que chega
De braços abertos
Com o céu dos desertos
Pra o chão da canção

Tem verso que vem
Do sumo da terra
Não chora nas guerras
Mas sofre de amor
Traz sonhos de paz
Nas rimas incertas
Que enfrentam os poetas
Sem credo nem cor

Tem verso que vem
Cantando alegrias
Na voz dos seus guias
Para o meu coração
Bem-vindo este verso
Que sonha comigo
E por ser mais que amigo
Me encanta a canção


05 LUGAREJO

Campos em paz
Do meu lugar
Vem para o olhar
Luzir na estampa
Beira de rio
Flor de tapera
E a primavera
No cio da pampa

Do amor que faz
O meu lugar
Ver que sonhar
Conduz sua gente
Cor de verão
Tardes caindo
E o céu luzindo
Réstias de poente

Campos em paz
Do meu lugar
Vem para o altar
De um verso novo
Fazer cançāo
Vidas marcadas
De sol e geada
Que forja um povo


06 COMUNGANDO

Ganho luz pra o coração
Olhando o campo acordar
Por isso afino meu peito
Com seu jeito de cantar
Semeando versos na terra
Pra ver o amor se encantar
Na alma da minha gente
Que me abraça pra sonhar

Plantador, Tropeiro e Peão
Fazem meu canto brotar
Professor traz sua lição
Que o Patrão quer escutar
Estudante estende a mão
E bota esperança no andar
De quem almeja um alento
E faz seu tempo vicejar

Não rimo com as ilusões
Que entristecem meu lugar
Por isso meu verso vem
Semear a luz em cada olhar
Trazendo boas sementes
Pra minha gente replantar
Pois o amor dessa canção
É feito grão pra germinar

Campeiro, Prenda e Doutor
Vem no verso comungar
Capelão traz sua oração
Que o Obreiro quer rezar
Operário em seu trabalho
Exalta o pão que traz pro lar
E a vida oferta mais vida
Pra quem ama sem cobrar

Se o campo alcança sua luz
Pra o seu povo caminhar
Eu lanço versos na terra
Pedindo ao céu pra vingar
E assim florescer meu canto
Pra ver o amor se iluminar
No coração desta gente
Que me abraça pra cantar


07 VIRAÇÃO

Tem dias que eu viro vento
E ao tempo solto minhas asas
Pra navegar nas tormentas
Que meu coração inventa
Quando alço o vôo das casas

Noutros preciso ser chuva
E o campo acolhe minhas àguas
Dando vaza ao sentimento
Quando eu canso de ser vento
E cismo enxaguar as mágoas

No encanto das estações
Do gris pra um céu mais azul
Exalto o ventre campeiro
E se meu norte é o seu luzeiro
Minha alma diz que sou sul

Tem dias que acordo sol
E o pampa é visão que encanta
Vendo minha gente plantar
Mais sonhos no seu lugar
Com a vida acesa na estampa

Então me atino a ser verso
E meu canto é mais que oração
Luzindo num sentimento
Quando eu vou buscar alento
E o campo estende sua mão


08 CONTRATEMPO

O inverno varreu a pampa
Com o sopro afoito dos ventos
Vou aquietar meus anseios
Pra não pelear contra o tempo
Vou dar guarida a tristeza
Que a chuva trouxe pra o peito
Aconchegando nas casas
Junto ao meu sonho desfeito

Não vou cantar essa noite
Deixe que cante esse Agosto
Na voz do seu temporal
Que apaga a luz do meu rosto
Vou acalmar tempestades
Desta saudade que tenho
Guardando a paz retornar
Pra a sorte dos meus anseios

Pois quando o dia acordar
Vou me entonar nos caminhos
Que minha alma só acalma
Quando avistar seus carinhos
Pra iluminar a tristeza
Que o inverno trouxe no tempo
Não fico mais pelas casas
Mesmo que soprem os ventos


09 SANTA PAMPA

Santa Pampa
Mãe que amo
Por seu campo
Onde me encanto
Terra franca
Que me alcança
A esperança
Pro meu canto

Santa Pampa
Māe que encanta
Pela estampa
Em sāo presente
Onde a vida
Encontra o prumo
E mostra o rumo
Pra sua gente

Santa Pampa
Mãe que amo
E onde planto
O bem que faço
Minha sorte
É o teu olhar
Vem me encontrar
No seu abraço


10 CAMPEADOR

Galopa meu sonho
Por entre as distâncias
Luzindo esperanças
No sul deste chão
Me leva estreleiro
Cruzando os caminhos
Pois campear carinhos
É nossa missão

Galopa meu sonho
Não pára um segundo
Esquece do mundo
E as dores de andar
Me leva sorrindo
Pra luz da minha estrela
Que é lindo revê-la
Com brilho no olhar

Meu sonho galopa
Cruzando as estradas
Me encanta jornadas
No sul de um país
O amor nos espera
No fim dos caminhos
Com a luz dos carinhos
Pra um tempo feliz


11 MENINA DOS OLHOS

Vagalume
Lume vaga
Vira estrela
Noite afora
Vem luzir
Na minha alma
Que a tristeza
Vai embora

Vagalume
Lume vaga
Cruza o campo
E vem brincar
Na ilusão
Do meu poema
Pra encantar
O meu cantar

Vagalume
Lume vaga
Pois também
Quero voar
Pra chegar
Nos olhos dela
Onde o amor
Me faz pousar


12 FOGONEANDO

Faixa Instrumental
FICHA TÉCNICA


Produção Fonográfica
GibaTrindade e Volmir Coelho

Arranjos
Volmir Coelho e Gabriel Selvage

Gravação
Estúdio Arsis - São Paulo | SP
Estúdio In Sonoris - São Paulo | SP

Engenheiro de Som
Rodrigo Panassolo

Masterização
Adonias Souza Júnior

Fotografia
Marco Santierri - Alegrete | RS
Marcelo Vigneron - São Paulo | SP

Projeto Gráfico
GT Criação Publicitária

Apoio
Toca do Sorro - Alegrete | RS

Todas as Letras desta obra

são de autoria de Giba Trindade com
Melodias de Volmir Coelho.
COMPRAR

http://www.vitrola.com.br

www.minuanodiscos.com.br


DIRETAMENTE COM OS AUTORES

Volmir Coelho
55 - 99654 4634
volmir_coelho@hotmail.com

Giba Trindade
11 - 99835 0145
gibatrin@yahoo.com.br

Ou deposite R$ 20,00 na
Conta 13587-0 - Agencia 1597 - Op 013
Caixa Economica Federal
CPF 346286300-20

Mande o comprovante junto
com seu endereço completo para o email 
gibatrin@yahoo.com.br
e aguarde o seu CD chegar pelo Correio.